Segunda-feira, 28 de Abril de 2014

Novembro

Sinopse: Amanda Horstmann foi expulsa do time de futebol da escola, sua maior paixão, e entre esse acontecimento, descobre que sua falecida mãe compôs uma música para seu pai enquanto ainda era viva. Motivada por essa descoberta, decide aprender a tocar a música para seu pai na esperança que ele volte a sorrir como antes, mas há um problema: Ela mal sabe segurar um violão. É neste momento que Fernando Amargo, filho do ex treinador de futebol da Amanda e ex guitarrista de uma banda de rock, surge em sua vida precisando de aulas de futebol - queira ele admitir ou não. O que você faria diante dessa situação? Bom, o que você faria eu não sei, Amanda e Fernando decidiram fazer uma troca. Mas o que acontece quando um garoto se submete a ter aulas de futebol com uma garota? E como fica seu coração ao ajudar o filho da pessoa que você mais detesta, a realizar um sonho que é seu? E o que fazer quando recuperar o sorriso do seu próprio pai te leva a caminhos incertos? Novembro é um romance emocionante e divertido, que narra a história de uma garota obstinada a fazer seu pai feliz e a tentar conhecer mais sobre a mãe que nunca teve, nem que isso signifique ter de adiar seu maior sonho. Este é o primeiro livro de uma série que te prenderá do primeiro ao segundo tempo.

 

Vanessa Marine - Novembro.jpg

 

 

Eu ia fazer uma resenha, mas não resisti e resolvi contar uma história. Há alguns meses atrás, em um grupo de livros no facebook, eu conheci uma escritora chamada Vanessa Marine, que apresentava a capa de seu livro “Novembro” e pedia nossa opinião sobre a capa. Na época, ela iria vendê-lo de forma independente e conforme as opiniões sobre a capa aumentavam, eu perguntei do que se tratava o livro, afinal, tinha uma bola de futebol na capa, e para quem não sabe, eu AMO futebol.

 

Vanessa mais do que rápido respondeu do que se tratava e o meu caso de amor por esse livro começou naquele instante, mesmo antes de lê-lo, mesmo antes de saber se estaria dentro do meu gosto e mesmo antes de saber se seguiam todas as regras do jogo mais popular do Brasil. Lembro até que me perguntou se eu era jogadora de futebol e lembro mais ainda que a minha resposta foi: quem dera!

 

De lá para cá, mesmo não sendo uma amiga íntima da autora, posso dizer que acompanhei todo o processo que Novembro passou até estar em minhas mãos. A assinatura o contrato com a editora, a mudança de data para lançamento, a divulgação oficial da sinopse, a escolha da nova capa, os muitos relatos sobre o que outras pessoas acharam o livro, o e-mail da revisora dizendo que não conseguia parar de lê-lo, a pré-venda e, enfim, o lançamento. E a doida por futebol aqui pentelhando para saber quando poderia ler Novembro. Enfim, mesmo de longe, este livro já era um sucesso mais que garantido na minha estante e no meu coração.

 

E sabe o que foi mais maravilhoso disso tudo? É perceber, ao lê-lo, que Novembro mereceu ser esse sucesso para mim. Que eu consegui rir, chorar e me deliciar com essa história simples, mas ao mesmo tempo muito diferente das que estão sendo comercializadas no momento por sua originalidade ímpar. Ah, claro, também me orgulhei porque o futebol foi mostrado todo dentro de suas verdadeiras regras. Isso é importante!

Novembro tem um misto de paixões nacionais que dá muito certo. Porque ter música e ter futebol é a certeza de diversão. A história tem algo muito maior: significado real de amizade. Dessas de uma vida toda, dessas que nos fizeram sofrer, mas deixou um aprendizado, dessas que a vida nos dá quando menos imaginamos e dessas que temos antes mesmo de nascer. E quem não gostar de ter amigos? De fazer amigos? De ser um grande amigo? Amanda e seu pai, Pedro, Gabriel e seus pais e Max sabem bem o valor disso. E sabem que os amigos também são nossa família.

 

Amanda tem um sonho difícil de se realizar, mas nunca ligou para o preconceito e não desistiu de realizá-lo mesmo com as dificuldades. E que dificuldades! Só deixou esse sonho de “lado” quando a pessoa mais importante da vida dela, seu pai, passou a ser seu foco e o sorriso dele sua maior meta. Pais fazem muitos sacrifícios por seus filhos, mas nem sempre os filhos tanto assim por seus pais. Então, é muito bonito ver algo assim tão puro e verdadeiro, tão família acima de tudo.

 

É um livro que muitos vão achar estilo adolescente, mas não tinha como não ser, seus protagonistas são adolescentes. Mas quem não sente falta da adolescência? Quem não gostaria de revivê-la nem que fosse um pouquinho? E o que não podemos deixar de pensar é que grandes lições a gente aprende em qualquer idade e vinda de todas as faixas etárias. E amor é amor sempre! Novembro é uma ótima oportunidade para se pensar novamente como um adolescente, rir como um adolescente, chorar como um adolescente e amar como um adolescente. Vamos aproveitar essa chance? Uma coisa é certa: muito amor por Gabriel Gostosão. Para desfrutar dessa delícia só lendo o livro!!

 

Não me arrependo de uma propaganda que fiz desse enredo. Não mesmo. Agora que já curti e muito essa história, posso dizer que cada palavra já dita em defesa da Amanda foi justa. E agora é com muita honestidade também.

 

Marine, Flor, obrigada por esse presente na minha vida. Sei que não foi escrito especialmente para mim, mas me senti, de alguma forma, incluída no seu sonho quando você resolveu mostrar para o mundo a história de amor de uma menina pelo futebol. Um pouco da minha história, mesmo que por pura coincidência. Obrigada por mostrar o futebol feminino e uma forma tão bonita. Infelizmente ainda moramos num mundo muito machista e, para muitos, futebol ainda é coisa de homem. Nossa Seleção Feminina de Futebol é fantástica, temos um ícone no futebol feminino, que é a Marta, e mesmo assim as pessoas acham que mulher não entende nada de futebol ou que são só Marias-Chuteiras, quando a verdade não é bem assim. Muito obrigada por mostrar quem é de VERDADE a mulher que ama o futebol, mulheres como eu.

 

E realmente não precisa ficar com ressentimento porque eu li tudo que a Marine escreveu. Posso responder sim a perguntar sem estar mentindo. Quem leu ou lerá Novembro entenderá o que estou dizendo! Que venha Inverno para eu saber mais o que Amanda Tchutchuquinha e Gabriel Gostosão irão aprontar para me conquistar ainda mais. 

 

sinto-me:
publicado por criando às 21:42
link do post | comentar | favorito

A culpa é das Estrelas - John Green

Sinopse: Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta.

Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer — a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

 

A culpa é das estrelas 1.jpg

 

 

O momento que você vive realmente influência muito nas suas escolhas, no jeito de encarar a vida e o modo como você critica o outro. Uns dois ou três meses atrás comecei a ler "A culpa é das Estrelas", afinal, era um livro super bem recomendado e não me tocou, não ocorreu aqueeela vontade tão típica de nós leitores e não me senti no livro. De início, até me achei estranha porque todo mundo só falava bem.

 No entanto, essa semana resolvi ler, matar logo a minha curiosidade, ver o que a história tinha de tão especial e só no final ter uma conclusão bem formada. E a minha conclusão é: Sensacional!! É um livro triste sim, é verdade, mas a vida não é feita só de alegrias e as tristezas também muito nos ensina, contribui muito para querermos sempre buscar uma vida melhor.

 A história é simples, cativante, emocionante, cheia de metáforas, reflexões, entrelinhas e muito carisma. Algo tão juvenil e inocente, que só torna tudo mais bonito. A simplicidade do livro é justamente o mais incrível porque nos toca profundamente e torna o enredo tão fantástico, tão verdadeiro, tão especial. Acho que esta é a palavra certa para caracterizar esse enredo. Ele é muito especial. O autor, com certeza, também estava num momento muito especial. Um momento daqueles únicos!

 Para quem não curte a inocência, não indico este livro, mas para quem não tem medo da vida, que quer saber como é o outro, que não liga das cenas mais íntimas serem bonitas como o amanhecer ou como o desabrochar de uma flor rara, esse livro é ideal.

 Os protagonistas sofrem, os personagens secundários sofrem, mas não é um livro que faltem risadas, sorrisos largos, ironias bem feitas e amar simplesmente por amor. Não vou negar: tem muitas lágrimas, mas o sorriso não seria o mesmo se não tivéssemos outra forma de exteriorizar nossos sentimentos, não é mesmo?

 Marcus Zusak estava certíssimo: a ler esse livro nós realmente rimos, choramos e queremos mais. Queremos mais saúde, felicidade, nossa família, nossos amigos e mais de Hanzel Grace e Augustus. Porque só quando você para para pensar na lição que um livro desse traz, que você passar a dar valor a algo chamado fé!

 Posso dizer, sem sombra de dúvidas, que "A culpa é das Estrelas" está ao ladinho de "O menino do pijama listrado" como meus livros super especiais e que há uma Natalia antes e outra depois dessa leitura. Se você quer saber valores como amor, amizade, respeito, compreensão, companheirismo e vida, esse livro é obrigatório. Esse livro será a sua maior lição! Obrigada John Green!

 

sinto-me:
publicado por criando às 14:16
link do post | comentar | favorito

Amores de Lú - LM Gomes

Amores de Lú.jpg

 

 

Definitivamente os livros da linha New Adult são a minha praia. São, normalmente, aqueles que mais me envolvem, me deixam na expectativa, que me deixam ansiosa e me conquistam pelo coração. Apesar do livros “Amores de Lú” ser classificado para maiores de 18 anos, ele, no meu modo de ver, tem um quê de New Adult, que foi o que me fez ficar encantada logo de cara.

 

Lú é uma mocinha completamente atípica. Amor próprio e não as convenções e preconceitos exalam de seus poros o tempo todo, mostrando o quanto é independente, o que presa pela igualdade dos sexos e o quanto gosta de ser ela mesma. Aliás, foi isso que mais gostei nela: essa capacidade nata de ser, acima de tudo, ela mesma.

 

O Edu é um cara com o perfil de ser mais tranquilo, “sério”, mais para o estilo certinho, mas ao longo do livro a gente percebe que dentro dele também há um vulcão prestes a entrar em erupção quando conhece uma tal menina de 18 anos cheia de determinação.

 

E não poderia dar outra: a coisa pegou fogo! Quando os dois estão juntos é uma sexualidade e sensualidade tão forte, que nos proporciona cenas de sexo intensas, deliciosas de ler, excitantes, mas sem nunca perder o carinho, a cumplicidade e o respeito que um sentia pelo outro.

 

Como um bom livro tem seus encontros e desencontros, seus problemas, dilemas e a nossa torcida pelo casal. Acredito que é nesse contexto que o vi tão nitidamente como um New Adult, mas sem perder o lado super picante de um hot (bem hot). Essa mistura de estilos só contribuiu para que o livro nos prendesse do início ao final de uma forma sem fôlego. Eu li em horas porque queria saber como seria o desfecho daquele casal tão diferente, mas que se completava tanto.

 

O final, para mim, foi surpreendente. Tem um tom de romantismo tão comovente, que só fez ter certeza que a torcida por Lú e Edu valeu muito a pena.

 

LM Gomes, para mim, Marcinha, parabéns pelo livro! Soube conquistar com seu jeito vibrante e com essa inovação tão bem vinda de duas vertentes dos romances contemporâneos. Que você possa nos brindar muitas outras vezes com tanta carga de emoção, sexo bem escrito e torcida por um grande final feliz!!

 

 

sinto-me:
publicado por criando às 13:20
link do post | comentar | favorito

Trilogia "O inferno de Gabriel" - Sylvain Reinard

Sinopses:

- O Inferno de Gabriel: A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher.Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites.O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.

Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.

 

O-Inferno-de-Gabriel.jpg

 

- O julgamento de Gabriel: Eles estão vivendo uma paixão arrebatadora. Mas muitas pessoas são contra esse amor. Gabriel Emerson e Julia Mitchell se conheceram há muito tempo, quando ela ainda era adolescente, numa noite mágica e confusa. Mas, apesar de todo o sentimento que nasceu entre eles, no dia seguinte seus caminhos se separaram. Anos depois eles se reencontraram quando Julia começou o mestrado na Universidade de Toronto. Gabriel era um professor enigmático, sedutor e muito arrogante que a atormentava e perseguia. No entanto, o que mais fazia Julia sofrer era ele não se lembrar dela. Mas nem mesmo o insensível Gabriel é capaz de resistir à profunda conexão que existe entre eles e logo os dois embarcam numa tórrida paixão proibida. Com o fim do semestre e do curso ministrado por Gabriel, eles deixam de ser professor e aluna e enfim estão livres para viver seu amor. Ou pelo menos era o que pensavam. Após uma viagem romântica para a Itália, durante a qual Gabriel ensina a Julia todos os mistérios do prazer e, em troca, aprende com ela o significado do amor verdadeiro, os dois veem seus sonhos ameaçados. Duas denúncias junto ao Comitê Disciplinar da Universidade põem em risco o emprego de Gabriel e a carreira brilhante e promissora de Julia. Será que o professor vai ceder às ameaças ou irá lutar até o fim por sua amada? Será que essa paixão conseguirá resistir a um julgamento implacável? Na apaixonante sequência de “O inferno de Gabriel”, Sylvain Reynard constrói uma bela história de amor, da qual os leitores jamais se esquecerão.

 

O julgamento de Gabriel.jpg

 

- A Redenção de Gabriel: Parecia que eles seriam felizes para sempre. Mas toda relação tem seus conflitos.
Depois do escândalo em que se viram envolvidos em Toronto, Gabriel e Julia se casaram e se mudaram para Massachusetts, onde ele dá aula na Universidade de Boston e Julia faz doutorado em Harvard. Agora ela precisa provar que não vive à sombra do marido famoso. Mas parece que Gabriel não está pronto para ver a esposa caminhar com as próprias pernas. Quando ela é convidada a dar uma palestra em Oxford, surge seu primeiro conflito: a linha de pesquisa dela diverge da teoria dele.
Durante a conferência, os dois são obrigados a confrontar antigos rivais, entre eles a incansável Christa, que, ainda determinada a humilhar Julia, ameaça revelar um dos segredos mais obscuros de Gabriel.
Além disso, as coisas entre eles não vão muito bem. Isso porque Gabriel está ansioso para ter um filho, mas Julia quer concluir o doutorado primeiro.
Para ver realizado seu sonho de formar uma família, Gabriel terá que enfrentar fantasmas do passado. Será ele capaz de fazer isso? E será que a generosidade de Julia resistirá à ameaça de ver arruinada a carreira que ela tanto se esforçou para construir?
'A Redenção de Gabriel' é o desfecho brilhante dessa trilogia que arrebatou leitores no mundo inteiro.

 

A_REDENCAO_DE_GABRIEL_1372958019B.jpg

 

 

É claro que eu gosto de um livro quente, que faz a gente ter sonhos tórridos e sonha em ter homens sexualmente incríveis. É claro que gosto de me sentir uma boa mocinha indefesa que encontra O CARA, aquele deus do sexo, que me faz sentir desejada e amada. Mas, cheguei a conclusão, que gosto mais ainda de organização, de pessoas que sabem o limite e que nunca perdem o bom senso.

 

E foi exatamente isso que eu mais amei na Trilogia que começa com “O inferno de Gabriel”, passa pelo “O julgamento de Gabriel” e termina com “A redenção de Gabriel”. O autor soube ser organizado, colocando a história numa sequência crescente muito bem feita, o que faz nossa curiosidade crescer na mesma proporção; soube o limite do que seria necessário e o que seria supérfluo para a história, não encheu linguiça e nem deu ibope para partes que deveriam ser secundárias. Ele soube desenvolver o importante no livro e sobre ser sucinto nos momentos certos (e posso dizer: ameeeeei isso nele) e teve extremo bom senso, fazendo uma história de amor sensual, sem ser vulgar. Outro ponto, para mim, muito positivo são os ótimos personagens secundários.

 

Sua obra é envolvente, deliciosa, esclarecedora, inspiradora e muito reflexiva. Porque o maior legado que essa história deixa para mim é a reflexão que fiz sobre a vida. Até que ponto realmente amamos o próximo? Até onde deixamos o passado de lado e vivemos o presente? Até que ponto realmente buscamos um futuro melhor? Será que sabemos mesmo perdoar? A nós mesmos e ao outro? Será que realmente todo mundo não pode mudar e serem pessoas melhores? Será que realmente não temos a tendência de nos colocarmos sempre em primeiro lugar? Tudo isso foi questionada por mim para mim mesma durante muitas vezes ao longo da leitura. O que me emocionou muito em várias partes.

 

O primeiro livro é muito mais do que a introdução da história. É onde se mostra toda a problemática da história de uma forma clara e objetiva, apesar do livro ser bem grande. Isso ocorre também porque de forma muito inteligente o autor desenvolve essa problemática, o que nos faz ter raiva, amor, pensa e receio pelos protagonistas. Nunca achei tão tudo a ver a mocinha ser virgem como nesse livro. Nem a Abby do meu tão amado “Belo Desastre”. Fez todo sentido, porque ela tem uma história de vida, que de início pode parecer apagada pelos dramas e dilemas do Gabriel, mas que com o decorrer do enredo, só mostra o quanto ela é humana. Essa é a palavra certa que define a Julianne: humanidade. E o Gabriel é um vulcão! Não é à toa que ele é muito apaixonado por Dante Alighieri. Porque ele é um Dante do século XXI sem sombra de dúvidas.

O segundo livro mostra a tensão da história. Afinal, o mundo não é só felicidade e nem dá para ser. Todo mundo passa por suas dificuldades e problemas, seus medos e neuras. Gabriel e Julia não fugiram disso. Foi um livro que li com mais calma porque já imaginava que iria acontecer e tinha medo de como iria acontecer. Mais depois que li, mais uma vez achei muito inteligente a forma como Sylvain Reynard conduziu tudo. Pareceu óbvio, mas teve um quê de criatividade que me fez ficar ainda mais envolvida. O chegou bem aos finalmente. Acredito que o livro 2 pareceu poder ser o final da história, mas também foi uma ponte necessária e bem feita para o que o autor tinha em mente para o livro 3.

O terceiro livro, confesso, foi o meu preferido. Foi o que mais e melhor me prendeu. Se que muita gente ficou decepcionada, queria mais, mas eu achei fascinante e muito verossímil. É claro que também queria mais da história, mas acho que foi super digno e lindo o final. Chorei! Me tocou fundo mesmo. Cheguei a ficar segurando o livro e pensando em tudo aquilo, quando terminei de ler. Mostrou como é um casal. Claro que um casal ainda romantizado, afinal, é um livro, mas mesmo assim, um casal mais comum, mais real. E foi o livro que mais trouxe à tona os questionamentos de que falei no terceiro parágrafo.

Enfim, eu super recomendo mesmo. Se você é do tipo que só quer ler sexo, sexo e sexo, não tenha o trabalho de ler. Contudo, se você gosta de histórias de amor e tudo que nela está embutida – amor, dúvidas, brigas, companheirismo, egoísmo, perdão e sexo- então essa é a grande dica do ano.

Queria também dizer que foi pessoalmente incrível ler uma história que um professor é o protagonista e não um CEO bilionário e longe do meu contexto de vida. Claro que eu também amo esses caras empresariais fora de sério, porém, é muito bem ver o meu mundo como algo importante. Sei que fora do Brasil os professores são mais valorizados e, no caso, o livro é estrangeiro. Mesmo assim foi reconfortante ver a figura de um professor como O CARA e de uma futura professora como uma das melhores mocinhas que eu já li. E ainda falam italiano. É demais para meu coração! Obrigada Sylvain Reynard por isso. Se você for mesmo homem, sou capaz de te dar até um beijo na boca.

Leiam! Leiam de coração aberto. Passem no inferno, enfrentem o julgamento e se sintam redentores junto com essa história tão marcante.

 

sinto-me:
publicado por criando às 12:38
link do post | comentar | favorito

Eu sou assim...

pesquisar

 

Junho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Resenha "Cidades de Papel...

Resenha "Para Sempre uma ...

Resenha "O Cortiço" - Alu...

Resenha do filme "Meu Pri...

13º Evento da "Menina que...

Resenha do filme "Lado a ...

Resenha "Amor e Ordem: o ...

Clube do Livro Saraiva RJ

Entrevista com Taísa Luci...

Resenha "Profundamente Su...

arquivos

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Setembro 2014

Abril 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Dezembro 2009

Julho 2009

Dezembro 2008

links

blogs SAPO

subscrever feeds